Área de Intervenção

Capela de Santo António

40.697575, -7.905245


ENQUADRAMENTO

Mandado fazer por Manuel Teixeira de Carvalho, este edifício, que mais tarde viria a pertencer aos Condes de Prime, é um dos mais emblemáticos exemplares da arquitectura civil portuguesa do século XVIII. È um belo solar, de disposição horizontal, organizado em dois andares, onde o labor primoroso e refinado do granito enquadra as janelas e os imponentes portais que desta forma animam as paredes. De planta rectangular, os seus interiores são ambientes requintados, onde se percebe uma certa cenografia, desde logo pelo enquadramento dado pela admirável escadaria que nos leva do átrio até ao andar nobre. Esta ambiência é completada pelos revestimentos azulejares de tons suaves e harmónicos que nos descrevem cenas de caça.

A capela adossada,edificada em 1748, apresenta as mesmas linhas aprimoradas da fachada do Solar. No único pano deste frontispício abre-se um excepcional portal onde assenta uma janela de sumptuosa decoração. Num plano superior, a cornija enfatiza o frontão que coroa o conjunto, de linhas sinuosas, rematado por uma cruz. De cada lado deste, e no prolongamento das pilastras adossadas ao corpo da igreja, repousam dois fogaréus. O seu interior é animado pelos azulejos que preenchem os panos murais e relatam cenas da vida de Sto. António, pela pintura que cobre os tectos e pelo dourado dos retábulos joaninos.


INTERVENÇÃO

O Solar dos Condes de Prime tem acesso pela Rua dos Andrades nº 23 a 31 e protecção legal, classificado como Imóvel de Interesse Público (I.I.P), pelo Decreto nº 78/95, de 12 de Setembro de 1978, de propriedade municipal e sem afectação.

A intervenção prevista nos Elementos Pétreos Integrados contemplou a limpeza e estabilização físico-química das três pias de água benta e de todas as molduras dos vãos de porta e de janela, da cornija da capela e do arco do coro-alto, elementos arquitectónicos em pedra de granito.

Além dos trabalhos anteriormente referidos, foram previstos os trabalhos necessários à reabilitação da Sacristia, nomeadamente, tratamento das paredes, aplicação de reboco e pintura e estabilização físico-química do lavabo de parede, em pedra de granito, esculpida em mascarão com bacia em concha.

No que se refere à intervenção na Pintura Mural, previu-se a limpeza, estabilização e protecção mural sobre alvenaria, de carácter ilusionista, da abóbada da capela, representando a Apoteose de Santo António, orago da capela; e a limpeza estabilização e protecção da pintura mural sobre alvenaria, de carácter ilusionista, da abóbada do subcoro com motivos alegóricos antonianos.

A intervenção prevista no Revestimento Cerâmico consistiu na recolocação nas paredes originais (parede Norte e Sul) dos azulejos / painéis de azulejos retirados da Capela para tratamento, em intervenções anteriores.

Relativamente à intervenção na Talha os trabalhos previstos consistiram basicamente em acções de limpeza e fixação da superfície dourada e policroma, desmontagem dos elementos que apresentavam problemas ao nível da sua estabilização estrutural e ao nível do suporte lenhoso, desinfestação curativa e preventiva, montagem dos elementos desmontados e reintegração cromática ao nível das lacunas da superfície dourada e policroma.

Os trabalhos de Construção Civil contemplaram revisão geral da cobertura e das carpintarias, bem como reforço / consolidação das sancas nas paredes laterais da capela.

No que concerne às Instalações Eléctricas os trabalhos contemplaram a aplicação de tubo e armadura de iluminação, bem como, acrescentar dois disjuntores ao quadro eléctrico existente.

As intervenções a realizar nos elementos pétreos integrados, pintura mural, revestimento cerâmico e talha foram realizadas por uma equipa de técnicos especializados em Conservação e Restauro: Antonio Vasques, David Teles, Teresa Teles, Raquel Varela e Tiago Sá (A. Ludgero).

Acompanhamento por parte do Centro de Conservação e Restauro: Fernando Ribeiro, Sónia Isidro e Rosa Veiga.