Noticias SRU

Notícias

2018 arranca com recorde de aprovações de intenções de transação de imoveis

Só no mês de janeiro foram aprovadas 13 intenções de transação de imóveis, abrangidos pela Área de Reabilitação Urbana de Viseu.

O processo de revitalização do Centro Histórico apresenta números animadores neste início de ano. Durante o mês de janeiro foram aprovadas 13 intenções de transação de imoveis, atingindo um valor global de 985 mil euros. Este número é o equivalente à totalidade de transações verificadas em anos anteriores, como 2010, 2011 e 2013, e revela um recorde de pedidos apresentados num só mês nesta área, desde 2009.

Também 2017 apresenta resultados positivos. Ao longo do ano, foram transacionados 64 imóveis, o que se traduz num valor de investimento de mais de 5,5 milhões de euros, e mais 4 transações relativamente ao ano anterior (2016). Estes resultados estão diretamente relacionados com o investimento que tem vindo a ser feito na habitação, em particular na Área de Reabilitação Urbana da cidade.

O Apoio Financeiro à Recuperação de Fachadas e o Programa de Incentivo à Correção Acústica constituem os principais programas de apoio financeiro com atribuição de âmbito municipal. Em 2017, foram concedidos 28 apoios para a recuperação de fachadas, no valor de cerca de 28 mil euros. Já o Programa de Incentivo à Recuperação Acústica, em vigor desde 2015, comparticipou 12 pedidos no centro histórico, com perto de 12 mil euros.

Desde 2013, o investimento na Área de Reabilitação Urbana de Viseu supera os 164 mil euros, dos quais cerca de 143 mil euros se destinaram a 113 incentivos financeiros para a recuperação de alçados, e perto de 21 mil euros financiaram 18 pedidos de comparticipação para a correção acústica.

Para além desses programas de apoio e estímulo à reabilitação do edificado na ARU de Viseu, os interessados também têm ao dispor o Programa de Isenção de Taxas e de Procedimentos Administrativos. 

A estas medidas juntam-se ainda outras políticas fiscais, de que os promotores poderão beneficiar, caso procedam a obras de reabilitação, designadamente, a isenção de impostos municipais como o IMT e IMI, e a redução de taxas de IVA e IRS.