Noticias SRU

Notícias

Em 2018, Município lança no terreno várias empreitadas na Área de Reabilitação Urbana

Ampliação do Teatro Viriato, reconstrução da Casa das Bocas e reabilitação de vários arruamentos são algumas das obras a iniciar

O ano de 2017 terminou com o lançamento de 7 obras a concurso público, estimando-se que a maioria das respetivas empreitadas venham a ter início nos primeiros meses de 2018.

Durante o último trimestre de 2017, foram lançados os procedimentos de concurso público para a elaboração do projeto para a requalificação do Bairro Municipal, assim como para a execução dos arranjos urbanísticos no Largo da Prebenda e no Largo de S. Lázaro, a ampliação do Teatro Viriato, a reabilitação das Ruas João Mendes, Soar de Cima, Cónego Martins e Almeida Moreira, e ainda da reconstrução da Casa das Bocas.

Estas intervenções contribuem para a requalificação do edificado e do espaço público da Área de Reabilitação Urbana de Viseu e prometem dar uma nova cara ao casco antigo.

Ao todo, as obras previstas consolidam um investimento estimado em mais de 8 milhões de euros. 

 

Sobre os projetos:

Reconstrução da Casa das Bocas

O imóvel foi adquirido pelo Município em fevereiro de 2015 com vista à requalificação do mesmo, estando o desenvolvimento do projeto a cargo da Viseu Novo.

Este Solar do séc. XVII dará lugar a uma Unidade de Saúde Familiar, com capacidade para albergar 11 gabinetes médicos e que beneficiará um universo de 18 mil utentes.

Esta obra de reabilitação e requalificação de mais um edifício na ARU, visa promover a inclusão social e combater a pobreza, particularmente no ao acesso a cuidados de saúde. 

Prevê-se que a execução da empreitada seja feita num prazo de 18 meses, após o seu início.

A candidatura da obra ao “Portugal 2020” (CENTRO-05-4842-FEDER-000026), já aprovada, foi submetida ao Aviso de Concurso nº CENTRO-42-2016-01, relativo a “Investimentos em Infraestruturas de Saúde”, tendo uma adoção indicativa prevista no PEDU de Viseu, correspondente a um investimento elegível de 1.627.867,02€, com a consequente dotação de FEDER de 1.383.686,97€ (taxa de 85,00%).

 

 

Requalificação da Rua João Mendes

Situada entre a rotunda de Santa Cristina e o cruzamento com a Rua do Gonçalinho, a Rua João Mendes irá beneficiar de obras de requalificação que facilitarão a circulação pedonal e rodoviária

Com um prazo de execução previsto de 12 meses, a intervenção pretende eliminar as anomalias existentes no pavimento e infraestruturas e melhorar a acessibilidade aos edifícios, através da melhoria da diferenciação entre circulação automóvel e pedonal, nomeadamente com a criação e ampliação de passeios. Prevê-se, igualmente, a substituição de todas as infraestruturas de sinalização, o reforço da iluminação pública e a inclusão de árvores para harmonizar o ambiente.

 

A candidatura da obra ao “Portugal 2020” (CENTRO-09-2316-FEDER-000033), já aprovada, foi submetida ao Aviso de Concurso nº CENTRO-16-2016-02, relativo à Prioridade de Investimento 6.5 (6e). Esta operação tem uma adoção indicativa prevista no PEDU de Viseu, correspondente a um investimento elegível de 562.640,14€, com a consequente dotação de FEDER de 478.244,12€ (taxa de 85,00%).

 

 

Requalificação das Ruas Soar de Cima, Cónego Martins e Almeida Moreira

No casco antigo da cidade, 3 arruamentos serão alvo de obras de requalificação que visam melhorar a circulação e o conforto nestes espaços públicos

Nas ruas Soar de Cima, Cónego Martins e Almeida Moreira surgirão novas infraestruturas que irão favorecer a circulação pedonal e automóvel, quer através da criação de passeios, como da reorganização do espaço de estacionamento.

As ruas irão usufruir do reforço da iluminação pública e de arborização, com vista à harmonização do ambiente urbano.

A candidatura da obra ao “Portugal 2020” (CENTRO-09-2316-FEDER-000034), já aprovada, foi submetida ao Aviso de Concurso nº CENTRO-16-2016-02, relativo à Prioridade de Investimento 6.5 (6e).

A operação, cujo prazo de execução será de 18 meses, tem uma adoção indicativa prevista no PEDU de Viseu, correspondente a um investimento total de 889.095,32€, do qual 868.596,50€ é elegível e o remanescente (20.498,82€) considerado não elegível, sendo a consequente dotação de FEDER de 738.307,03€ (taxa de 85,00%).

 

 

Arranjos urbanísticos para o Largo da Prebenda e S. Lázaro

Tendo em vista a criação de novos espaços verdes e de lazer para os habitantes e visitantes do Centro Histórico da cidade, o Município de Viseu e a Viseu Novo pretendem revitalizar cinco praças e largos do casco antigo, nomeadamente a Praça D. Duarte, o Largo da Misericórdia, o Largo Pintor Gata, o Largo da Prebenda e o espaço público adjacente à sede das antigas freguesias de Santa Maria e São José.

É neste contexto que se inserem os projetos de arranjo urbanístico do Largo da Prebenda e Largo de São Lázaro, onde serão criados novos jardins para usufruto de todos quantos vivem e passeiam neste local.

Prevê-se que os projetos para os restantes largos e praças mencionados, sejam concluídos no decorrer do 1º trimestre deste ano.

 

Elaboração do projeto de requalificação do Bairro Municipal

 

O Bairro Municipal de Viseu, classificado como Património de Interesse Municipal desde 2015, será alvo de obras de requalificação de todas as suas casas originais.

Edificado entre 1946 e 1948, como “Bairro de Casas para Classes Pobres”, este é um bairro que faz parte da história da cidade, sendo objetivo desta intervenção recuperar o seu traçado original. Paralelamente, serão demolidas 5 casas pré-fabricadas aí existentes, já que, do ponto de vista arquitetónico, não cumprem a traça original. A recuperação destas casas permitirá melhorar as condições de habitabilidade dos seus moradores e, consequentemente, a qualidade de vida deste bairro.

Também o espaço exterior do bairro beneficiará de requalificação, através da recuperação de todas as infraestruturas, da aquisição de novo mobiliário urbano, da reorganização do estacionamento disponível e da criação de novos espaços verdes. O projeto prevê ainda a criação de percursos diferenciados para a circulação pedonal e automóvel.

A obra, com investimento global calculado em 4.7 milhões de euros, será alvo de uma candidatura no âmbito do PEDU, tendo, no final do ano, sido lançado o concurso público para o desenvolvimento dos respetivos projetos. As empreitadas deverão arrancar no final de 2018.

 

Ampliação do Teatro Viriato

O antigo edifício da Aprogel, situado nas traseiras do Teatro Viriato, será recuperado e adaptado a uma nova área de apoio e de ensaios para este espaço cultural.

No final de 2017, foi lançada a empreitada que tem um prazo de execução de 6 meses. A execução desta obra representa um investimento municipal na ordem dos 248 mil euros.